15 janeiro 2009

A outra.



Nós somos muito trágicas.

diz a traveca à irmã da outra

Um actor pode ter as vidas que quiser.
diz a mãe ao filho com síndrome de Down

Só temos uma vida. Devolve-me a minha.

diz a noiva abandonada no altar ao homem que a abandonou pq afinal gostava de homens
from, A Outra Margem, por Luís Filipe Rocha 2006.


Muitas e exigentes razões para não deixar de ver este filme.
o Filipe Duarte? eu soube que ele era raça mista, quando ainda nem sabia que se podia ser raça mista no B.I. E melhor? Poder escolher sê-lo! :)


1 comentário:

Fabulástico disse...

Talvez o próximo argumento seja sobre uma lésbica metalúrgica com uma prima paraplégica tendo que casar com um senhor latifundiário muito mau para lhe poder pagar a operação nos EUA. Onde constará a mais fina utilização da língua portuguesa em pérolas como:
«Beija-me como nunca me beijaste na vida.» ou «Diz-me de uma vez por todas e por tudo o que há de mais sagrado.» ou ainda «Não te laves com Distron porque sabe a detergente.»

[Não se esqueça de visitar o seu novo e redecorado quarto na mansão queer the pitch]